• Escritório Júnior Ruy Cirne Lima

Como empreender na moda com mais segurança

Atualizado: Mar 29

O mercado da moda é um dos mais complexos e amplos do mundo, estando presente no dia a dia de todas as sociedades de uma forma ou de outra, envolvendo muito mais do que apenas as peças de roupas vestidas, mas também um conjunto de expressões, sentimentos, opiniões e mensagens que as pessoas transmitem através delas. Não é atoa que a moda envolve o trabalho de muitas pessoas: designers, estilistas, varejistas, fornecedores, franqueados, dentre outros.

E, exatamente pela união de esforços de tantas pessoas, os empreendedores enfrentam muitos conflitos que arriscam o sucesso de seus negócios. Felizmente, muitas destas situações podem ser reduzidas ou mesmo eliminadas através de ações preventivas. Frequentemente, os problemas que os empreendedores são: 1. Réplicas de seus produtos; e 2. Dúvidas e atritos com parceiros (fornecedores, revendedores, designers e estilistas).

1. Réplicas dos produtos

Sem dúvida, as réplicas são algumas das maiores preocupações dos empreendedores, aquele que dispendeu tempo, esforço e dinheiro na criação e desenvolvimento de ideias e conceitos. Esta preocupação apenas cresce quando nos deparamos, diariamente, com a venda de produtos estampados com algumas das marcas mais famosas do mundo, como Nike, Adidas, Loubotin, Gucci, dentre incontáveis outras.

Acontece que, ao menos em parte, o empreendedor pode tomar medidas para minimizar estes atos, embora é claro seja difícil tomar conhecimento de tantos provedores destes produtos. De todo modo, o primeiro passo é responder a seguinte pergunta:

VOCÊ TEM A SUA MARCA REGISTRADA?

No Brasil, o registro é o que dá ao empreendedor os direitos sobre a sua marca. Ou seja, quando ausente o registro de marca, podemos dizer que simplesmente não há direito sobre aquela marca (Sim, é isto mesmo que você leu!!!!!).

Já pensou, você é um designer de bolsas e sapatos que há anos produz estas peças e, em um belo dia de verão, recebe uma ação judicial de um terceiro requerendo que você pare de usar a “sua” marca, pois ele registrou no INPI antes? Pois então, sim pode acontecer e apenas a discussão judicial pode durar anos, o que, independente do resultado, causará grandes dores de cabeça.

2. Dúvidas e atritos com parceiros

Como tudo na vida, o trabalho em equipe é a essência do sucesso e, no nosso caso aqui, não seria diferente. O fornecedor vende a matéria para o fabricante que produz as peças, estas concebidas pelos designers e estilistas que são vendidas pelos varejistas. É uma cadeia complexa, sem dúvidas.

Contudo, mesmo com uma cadeia mais simples, os problemas são os mesmos, talvez você tenha enfrentado alguns: - Fornecedor encaminha matéria-prima fora dos padrões acordados - Varejista recebe produtos diferentes daquilo que esperava - Peças não são exibidas da forma acordada com o designer

Estes são apenas alguns dos muitos atritos enfrentados por estes empreendedores. Isto tudo, muitas vezes, origina-se de contratos verbais ou contratos escritos sem a devida profundidade. Tudo certo, mas como evitar? Novamente, vamos nos fazer uma pergunta:

VOCÊ TEM UM CONTRATO? SE SIM, VOCÊ ENTENDE O SEU CONTRATO?


Um contrato, especialmente um bom contrato, traz algo quase inestimável: tranquilidade e segurança para se concentrar naquilo que realmente importa, o seu negócio. Nele, devem conter as informações das pessoas com quem você está negociando, o que estão negociando, como o negócio se dará, o que acontece se não cumprirem a sua parte, dentre quaisquer outros acertos feitos com seus parceiros, e, acima de tudo isso, você deve entender o que nele está escrito, pois se nem você entende, o seu parceiro também não entenderá e, da dúvida, nascem as primeiras discussões.

Então, seguindo este passo a passo, com certeza, o seu negócio vai ganhar em tranquilidade e segurança:

  1. Busque a existência de outras empresas com nome ou logo similar a sua, no seu ramo;

  2. Registre a sua Marca;

  3. Firme contratos com seus parceiros;

  4. Escreva contratos claros e completos com seus parceiros;

  5. Não tenha medo de errar, mas sempre busque aprimorar as suas relações com base na sua experiência.

Ficou com alguma dúvida, complemento ou gostaria de compartilhar alguma experiência sua no mercado? Pode comentar aqui ou entrar em contato por qualquer meio!

44 visualizações